skip to Main Content

Breve ensaio sobre Carreira e Autoconhecimento

Breve ensaio sobre Carreira e Autoconhecimento

Todos os dias recebo mensagens com perguntas sobre carreira. Perguntas carregadas de ansiedade, angústia, desânimo, com um medo enorme de “errar de novo”, de ter que “começar do zero outra vez”. Poucas trazem esperança e aquela energia boa que a vida profissional pode proporcionar. Claro, afinal, “se trabalho fosse bom não seria pago, certo?”

Se você sofre todas as manhãs quando toca o despertador, se vive por dois dias na semana, talvez esteja na hora de repensar. Há muitas alternativas, mas vou resumir a duas, para você considerar aqui:

  • Achar um trabalho que você realmente ame (e sim, ser bem remunerado por isso!)

ou

  • Achar coisas que ame fazer no seu trabalho atual

Meu objetivo aqui não é te convencer sobre uma ou outra (mesmo porque, como eu disse, só resumi às duas mais conhecidas, mas há muitas alternativas), mas sim te contar o que fazer em qualquer alternativa que escolha, que busque realização de verdade.

Conhece a ti mesmo, e conhecerás o Universo e os Deuses

A ideia socrática, “conhece a ti mesmo”, é cada vez mais fundamental para a felicidade.

O autoconhecimento é a base para a alta performance pessoal e profissional. É no meu estado natural que exerço melhor qualquer papel, onde chego aos melhores resultados, e onde vivo minha essência. Para isso, preciso ter clareza das minhas forças, meus talentos, meus valores pessoais, meus motivadores.

Não por acaso a primeira etapa de qualquer Processo meu é a de Sensibilidade, que é justamente trazer à tona essa essência, usando os melhores recursos de autoconhecimento. Usa assessments (estudos de perfis comportamentais), passa por devolutiva para validação do avaliado, exige muita reflexão e postura ativa para montar um mapeamento comportamental que realmente o represente. A busca por um Sentido (o Propósito, tão mais em voga hoje em dia) é absolutamente dependente e parte dessa fase de Sensibilidade.

O fato é que estamos cada vez mais conectados com tudo, e desconectados de nós mesmos. Anestesiados do que realmente sentimos, queremos, do que pode nos fazer realmente felizes. Perdidos, dentrodo nosso próprio território.

O caminho que leva ao autoconhecimento é diferente para cada um, assim como o momento de fazer essa busca. Estudos de perfis comportamentais ajudam a medir muitas coisas, mas é importante citar que há muita informação que assessment algum pode medir, como experiência de vida, ética, caráter e maturidade. Muitas vezes, esses pontos não mensuráveis por assessments são justamente os que fazem a diferença para que perfis comportamentais DISC similares (por exemplo) tenham resultados de vida diferentes.

Vale deixar claro que o autoconhecimento é um processo contínuo, que não tem fim, e a cada dia podemos aprender mais. A etapa de Sensibilidade te traz os alicerces e mais tranquilidade para entender e aproveitar melhor essa jornada.

Lembra do início desse monólogo: as perguntas que eu recebo todos os dias sobre Carreira, cheias de medo, angústia, desânimo? Após uma etapa de Sensibilidade bem fundamentada as perguntas muitas vezes até aumentam, mas já são outras e te levam à ação, e tem muita energia. Provavelmente vem com frio na barriga, mas tem você de verdade no comando para buscar maneiras de fazer acontecer. Eu começo te deixando duas, que mesclam carreira e autoconhecimento:

Se você pudesse fazer qualquer coisa no mundo pra ganhar dinheiro, que coisa seria essa?

Por que?

Um forte abraço e se joga!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top